Arquivo de Tag | Johnson & Johnson

Aberta nova turma para certificação na metodologia de avaliação Hogan

Entre os dias 21 e 22 de março a consultoria Ateliê RH — distribuidora nacional dos instrumentos de avaliação de personalidade e de valores e motivações da Hogan Assessment Systems — organiza em São Paulo mais um workshop de certificação Hogan, voltado para profissionais de Recursos Humanos, consultores e coaches que desejam utilizar as ferramentas Hogan em sua atuação profissional.
A metodologia Hogan foi desenvolvida pelo psicólogo americano Robert Hogan, um dos maiores especialistas do mundo em avaliação de personalidade, liderança e efetividade organizacional e é extensamente utilizada em organizações de 40 países.
Os instrumentos Hogan foram desenvolvidos para o mundo corporativo e não adaptados a partir do uso clínico. Assim eles são mais efetivos para atender as demandas das empresas — seleção, avaliação de potencial, desenvolvimento, sucessão de gestores, coaching, desenvolvimento e equipes, entre outros. As avaliações Hogan são extremamente precisas e podem predizer, com significativa validade, a performance e o comportamento que um determinado profissional terá no ambiente de trabalho. A ferramenta já foi adotada por empresas como Pepsico, Dell, Cisco, Avon, J&J, entre outros.
No Brasil, os inventários Hogan estão sendo aplicados desde 2003 e padronizados para a população brasileira desde 2009. Em todo o mundo, mais de 1 milhão de pessoas já realizaram o Inventário Hogan de Personalidade, que também já foi validado para quase todos os cargos na maioria de indústrias.

Conheça os inventários
A metodologia Hogan é composta por três inventários, que dão origem a vários relatórios e avaliações da personalidade da pessoa avaliada:

Personalidade: O Inventário Hogan de Personalidade (IHP) identifica o “lado luz” da personalidade e tem a capacidade, comprovada cientificamente, de predizer o comportamento profissional. Por meio de sete escalas, o IHP avalia os seguintes traços: ajustamento, ambição, sociabilidade, sensibilidade interpessoal, prudência, inquisitivo e abordagem a aprendizagem. O nível apresentado em cada traço e suas combinações permite a seleção da pessoa certa para o lugar certo, o apoio para o desenvolvimento de indivíduos pela ampliação de seu autoconhecimento e orientação em transições de carreira.
Desafios: O Inventário Hogan de Desafios (IHD), que também ficou conhecido como “Fatores de Descarrilamento de Carreira”, avalia as 11 tendências de comportamento que emergem sob estresse e podem afetar os relacionamentos no trabalho, prejudicar a produtividade, ou limitar o potencial geral de carreira.
Motivos, Valores e Preferências: O Inventário de Motivos, Valores e Preferências mapeia os dez valores centrais e os motivadores da pessoa avaliada, como crenças e seus objetivos de vida; suas preferências no que tange ao trabalho e o que, para o profissional avaliado, significa ter um bom trabalho; suas aversões, que refletem atitudes que não são apreciadas e podem ser consideradas motivos de estresse e finalmente, quais os tipos de pessoas que este indivíduo prefere ter como colegas de trabalho e amigos.

De acordo com Hogan, as 11 tendências que podem tirar um profissional da pista do sucesso são: exibir um comportamento muito “temperamental”, com altos e baixos emocionais; ser cético em excesso; ter cautela em demasia; manter um comportamento muito reservado no ambiente de trabalho; demonstrar uma passividade resistente; ser arrogante; demonstrar ser ardiloso; ser melodramático; ou ser muito imaginativo, perfeccionista ou obsequioso demais.

Cresce a procura por profissionais híbridos

Se no passado o profissional mais cobiçado pelas empresas era aquele que dominava uma determinada área de atuação, hoje em dia o funcionário híbrido vem ganhando maior destaque no mercado de trabalho. Ele não precisa ser um especialista, mas tem que conhecer e entender áreas distintas, ter uma ampla formação e conhecimento de diferentes segmentos.
Na Johnson & Johnson, maior e mais diversificada empresa de cuidados com a saúde do mundo, o desafio é encontrar profissionais com formação que permeie diferentes áreas, como um engenheiro químico que também entenda da área farmacêutica, pois o mercado precisa de um profissional que tenha capacidade técnica para criação de produtos e também entenda de regulamentação junto à ANVISA, por exemplo.
O setor de cosméticos no Brasil cresce mais de 10% ao ano, sendo um dos que mais se desenvolve no mundo, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec). Porém, as necessidades são muito específicas. “O aumento de demanda por mão-de-obra não foi acompanhado pelos meios educacionais. Não temos hoje pessoas capacitadas e prontas para preencher todos os novos campos da indústria, e estes surgem todos os dias. A equação em discussão nas empresas é: Como aplicar o que se aprende para gerar inovação? Diferenciação?”, diz Sônia Marques, diretora de RH da Johnson & Johnson Brasil.
A diretora de RH também comenta que o histórico de formação em áreas como Administração e Marketing é grande, mas não há formação adequada para outros segmentos que estão crescendo. ”Existe hoje alguma faculdade de embalagem e sustentabilidade, por exemplo? Não temos. Um profissional deste tipo é muito demandado em diversos setores da indústria. Precisamos pensar no desenvolvimento de produtos de forma sustentável. A Johnson & Johnson supre internamente essa necessidade, dando formação aos profissionais. Sempre que um profissional é contratado, já pensamos qual pode ser o próximo movimento dele dentro da companhia, em que área ele poderá atuar no futuro”.

Candidato disputado
No caso de profissões especificas, a situação também é complexa. O Brasil abriga hoje o 2º maior Centro de Pesquisa e Tecnologia (CPT) da empresa no mundo. Lá são criados a maioria dos 200 produtos lançados todos os anos na América Latina. Um centro dessa amplitude precisa constantemente de lançamentos e para atuar nessa área o profissional deve entender de criação e desenvolvimento de produtos e ao mesmo tempo de legislação, além de ter a capacidade de gerir pessoas.
O mesmo aconteceu com a área de cuidados com a pele que teve um grande crescimento nos últimos anos e demandou maior investimento da companhia em mão-de-obra. “Focamos ainda mais na área de pesquisa, na contratação de profissionais de pesquisa que trabalhem no desenvolvimento de novos produtos. O desafio é que um dermocosmético não é um medicamento, mas precisa ser tratado como um, o que demanda um profissional mais qualificado que entenda novamente de criação e legislação”, afirma Sônia.
Hoje, 200 funcionários integram o CPT no Brasil, sendo 180 cientistas entre engenheiros, farmacêuticos e pesquisadores. A estimativa é contratar até o final de 2012 cerca de 30 pessoas, o que equivale a um aumento de 15% do total de funcionários.

Johnson & Johnson investe em políticas internas de incentivo à inovação

Todos os anos, a Johnson & Johnson lança em média 200 novos produtos na América Latina, sendo 150 provenientes do Brasil. Todas essas novidades são desenvolvidas no Centro de Pesquisa e Tecnologia (CPT) da Johnson & Johnson, localizado em São José dos Campos (SP), em uma área de seis mil metros quadrados, que integra o Parque Industrial da empresa.
Para incentivar tanta criatividade, a Johnson & Johnson desenvolve uma série de atividades com os cerca de 200 pesquisadores que integram o CPT, entre eles engenheiros, farmacêuticos e químicos. O foco é sempre a inovação.
Há seis anos foi formado o Comitê de inovação, um grupo de 20 pessoas de diferentes formações e níveis, de juniores a sêniores, que gerenciam o processo de inovação e desenvolvem ações para gerar ideias no CPT. O grupo é renovado anualmente, sendo que metade muda e metade fica.
Todos os anos, desde 2007, é realizado também o “Prêmio de Inovação”, conferido aos oito melhores projetos submetidos por funcionários. Em 2011, foram submetidas 11 idéias e a vencedora do prêmio — Neutrogena® Deep Clean Sabonete Facial com Grapefruit, que remove 99% das impurezas da pele — foi lançada no mercado no começo de 2012.
O programa “Vista essa camisa”, inicialmente chamado de “Do your own Project”, é outra iniciativa que envolve os cerca de 4 mil funcionários da planta em São José dos Campos. Todos são convidados a participar com ideias para a criação de produtos. Sejam elas viáveis ou não, o importante é usar a criatividade. Os colaboradores penduram suas ideias em bilhetes no formato de camisetas num painel em formato de varal. As duas campanhas já realizadas geraram 297 ideias. Como incentivo, a fábrica que submetesse mais ideias ganhava uma festa.
Há também os grupos de discussão para gerar ideias, o chamado “Balloon of Insights”. Desde 2006, 71 ideias foram geradas, sendo cinco aprovadas pelo Comitê de Inovação como potenciais para serem desenvolvidas. As sugestões que acabam se tornando viáveis e geram patentes para a companhia, sejam conferidas ou outorgadas, são recompensadas financeiramente.
Na entrada do CPT um quadro traz todas as patentes já conferidas a funcionários na companhia nos últimos anos.

Lançamentos do CPT
Vários produtos inovadores na história da Johnson & Johnson foram desenvolvidos no CPT do Brasil e lançados com sucesso no mercado, como os shampoos e condicionadores JOHNSON’ s BABY® para os diferentes tipos de cabelo, o SEMPRE LIVRE ADAPT®, SEMPRE LIVRE TERMOCONTROL®, SEMPRE LIVRE TRI PROTECT®, SEMPRE LIVRE SLINEA ULTRA®, a linha dermocosmética ROC Minesol® Oil Control e ROC® Clarifiant e ainda a linha de Higiene Oral Listerine ® Essencial.
As novidades mais recentes criadas no CPT são a escova de dentes sustentável REACH ECO®, com o cabo feito de 40% de aparas de absorvente, lançada no País em 2009. Essa foi a primeira escova do mercado brasileiro com apelo sustentável. E no verão de 2011/2012 foi lançado o protetor solar SUNDOWN® Senses, com nova fragrância, aspecto e textura mais leves. O produto, que tem as embalagens assinadas pela estilista Adriana Barra, foi desenvolvido com base em pesquisas com o público feminino, que mostraram a crescente valorização dos atributos fragrância (possui notas de frutas e flores), textura mais leve e suave.

Johnson & Johnson abre 34 vagas para trainees

A Johnson & Johnson do Brasil está com 34 vagas abertas para o programa Jovens Talentos Trainee 2013 nas três divisões da companhia — Consumo, Médica ou Farmacêutica — em São Paulo ou São José dos Campos. As inscrições abrem dia 10 de agosto e são voltadas a estudantes graduados em cursos superiores das áreas Humanas, Exatas ou Biológicas, entre dezembro de 2010 e dezembro de 2012.
A Johnson & Johnson oferece um programa intensivo de amadurecimento profissional e pessoal com foco na geração Y, com treinamento individual, aulas de gestão de carreira, atividades interpessoais fortalecendo o senso de equipe e a vivência no mundo corporativo.
Na Johnson & Johnson, os trainees são formados para assumir cargos de liderança no futuro da companhia. Por isso, o programa foi desenhado para desenvolver competências gerais como orientação aos resultados, visão estratégica e trabalho em equipe, alem de competências funcionais, especificas de cada área.
Ao ingressar a organização, os jovens passam uma semana inteira na Academia de Trainees para conhecerem os valores e o credo da Johnson & Johnson, além de aprenderem a gerir o tempo, projetos e gerar resultados. Ao longo do programa, os trainees receberão mais duas semanas de treinamento intensivo na academia com o objetivo de fortalecer a visão estratégica, incentivar o senso de equipe e com foco no planejamento da carreira.
Além dos cursos e atividades propostas em paralelo ao trabalho desempenhado pelos trainees, eles recebem o coaching individual, um feedback constante dos gestores das áreas em que estão atuando. “O coaching que estou recebendo, os treinamentos e a visão do todo atestam a qualidade do programa que é bastante desafiador e enriquecedor. Somos colocados para atuar em grandes projetos e a companhia investe na nossa formação como pessoas e profissionais”, diz Thaissa Sá, trainee desde 2011.
Outra vantagem é a oportunidade de mudar de área de atuação pelo menos duas vezes ao longo do programa, o que permite um amadurecimento do que o jovem deseja seguir. “Quando me contrataram disseram que eu tinha perfil de vendas, mas eu queria a área de marketing. Trabalhei durante um ano na área comercial no Rio de Janeiro, em dois grandes projetos, e este ano tive a oportunidade de atuar no marketing corporativo com foco no patrocínio da Copa do Mundo. Hoje, descobri que minha vocação é de fato a área de vendas”, acrescenta Thaissa.

Seleção
As inscrições estão abertas a partir do dia 10 de agosto e poderão ser feitas a partir do site www.jnjbrasil.com.br/carreira que conta com informações adicionais sobre o programa. A primeira fase da seleção será composta por análise de currículo e de um questionário virtual para conhecimento do perfil e comportamento dos candidatos.
Os candidatos pré-aprovados na triagem serão selecionados por meio de um jogo virtual, uma novidade implementada pela Johnson & Johnson no ano passado. Nos jogos, os participantes do processo vivenciam situações da vida real nos jogos e são obrigados a tomarem decisões relacionadas ao dia a dia da empresa. O inglês, o raciocínio lógico e a tomada de decisão alinhada à cultura da Johnson são os itens avaliados nessa etapa.
O jogo situacional é uma forma diferente e criativa de avaliar os candidatos e identificar os estudantes cujos perfis estão alinhados com a cultura da Johnson & Johnson, atendendo a requerimentos das posições.
Com base nessa nova triagem, o processo de seleção segue para as fases presenciais com identificação das competências por meio de dinâmica de grupo, e por fim, a última fase envolverá os gestores que avaliarão os candidatos por meio de um board game, atividade em grupo com cases que simularão negociações e tomada de decisões. Os candidatos selecionados iniciam o programa em fevereiro de 2013.

Exigências para inscrição

- Inglês avançado ou fluente (escrita, leitura e conversação)
– Disponibilidade para residir no local da vaga e mobilidade geográfica.
– Áreas de atuação: Vendas, Finanças, Marketing, Trade Marketing, Recursos Humanos, Tecnologia da Informação, Economia da Saúde, Médica, entre outras.
– Período: de 10 de agosto a 10 de setembro
– Site: www.jnjbrasil.com.br/carreira

Carreira e benefícios
Os trainees contam com os mesmos benefícios oferecidos aos demais funcionários como assistência médica e odontológica, previdência privada, seguro de vida, estacionamento, refeitório no local ou vale refeição, bônus referente ao desempenho individual e da companhia, e desconto na compra de produtos e medicamentos da Johnson & Johnson.
A taxa de efetivação de trainees na Johnson & Johnson é bastante alta: 93%. Desde 2008 foram contratados 61 trainees, sendo que apenas 7% deixaram a organização.
Para mais informações visite a página no Facebook www.facebook.com/jnjcareersbrazil.

Johnson & Johnson do Brasil lança página no Facebook dedicada à carreira

A Johnson & Johnson do Brasil acaba de lançar sua página dedicada à “Carreira” no Facebook com o objetivo de se aproximar de possíveis candidatos e, assim, atrair novos talentos para os diferentes negócios da empresa, que incluem a maior e mais diversificada empresa de dispositivos médicos e diagnósticos do mundo — Johnson & Johnson Medical; a 5ª maior empresa de biológicos e 8ª maior farmacêutica do mundo — Janssen; e a 6a maior empresa de consumo em saúde do mundo — Johnson & Johnson Consumo.
A página de recrutamento de talentos do site institucional da J&J também foi atualizadaa. “Nós procuramos por profissionais que tenham o compromisso diário de melhorar a saúde, o bem estar e a vida das pessoas; que sejam apaixonados pelo que fazem; que trabalhem bem em equipe; e que se preocupem e cuidem profundamente de nossos clientes e comunidades. Essa nova ferramenta visa nos ajudar a encontrar essas pessoas”, destaca Mariana Ramirez, diretora de Recrutamento & Seleção para o Brasil.
A página destaca os principais atributos que fazem da Johnson & Johnson do Brasil uma boa empregadora, além de apresentar as possibilidades oferecidas pela empresa aos candidatos:

• Programa de Estágio Jovens Talentos: visa desenvolver jovens com potencial para assumir futuras posições de trainee ou juniores. Os pré-requisitos considerados são: estar cursando o penúltimo ou último ano da faculdade, ter inglês avançado e disponibilidade para estagiar nas regiões de São Paulo ou São José dos Campos. O programa tem duração de 1 a 2 anos e o início do processo seletivo acontece em setembro.
• Programa de Trainee Jovens Talentos: tem o objetivo de identificar jovens com potencial profissional, dinâmicos, empreendedores, que gostem de se relacionar e trabalhar em equipe. A empresa contribui para o desenvolvimento dos mesmos para que possam assumir posições efetivas. O processo seletivo também tem início em setembro.
• Vagas efetivas em aberto: aqueles que tiverem vontade de fazer a diferença e acreditarem poder contribuir com o objetivo da companhia de fazer parte da vida de milhões de pessoas, podem se candidatar às vagas em aberto.
• Programa Internacional de Recrutamento e Desenvolvimento (IRDP): voltado para estudantes de MBA no exterior, visa preparar futuros líderes para a organização, ajudando candidatos altamente qualificados a acelerar seu crescimento rumo a cargos de liderança.

Para conhecer a nova página da empresa no Facebook, acesse: www.facebook.com/jnjcareersbrazil.
Para conhecer a página de carreiras atualizada, no site institucional da Johnson & Johnson, acesse: www.jnjbrasil.com.br/carreira.

40% dos cargos de liderança da Johnson & Johnson Brasil são ocupados por mulheres

Na Johnson & Johnson Brasil a cultura de igualdade entre homens e mulheres no âmbito profissional já está incorporada, fato comprovado por 40% dos cargos de liderança serem ocupados por mulheres, sendo 21,43% cargos de diretoria e 32,86% cargos de gerência.
Além das mulheres integrarem o quadro de funcionários, há uma preocupação crescente da companhia em desenvolver e reter talentos femininos, o que motivou a criação do programa Women’s Leadership Iniciatiave (WLI). A iniciativa existente há oito anos apoia o desenvolvimento e a retenção de mulheres líderes do grupo Johnson & Johnson, com a visão de maximizar o poder feminino para gerar vantagem competitiva global.
Os encontros do Women’s Leadership Iniciative são trimestrais e reúnem em média 100 mulheres em cargo de liderança (supervisor, gerente, diretor), em São José dos Campos, sede da fábrica da Johnson & Johnson. A cada evento são promovidas conferências, reuniões, programas de equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, coaching, networking e progressão na carreira.
Thais Figueiredo, gerente de Planta de o.b e Cotonetes, é um exemplo de liderança feminina desenvolvida dentro de casa e a partir do programa WLI. Ela ingressou na companhia em 1999 como estagiária no Programa Jovens Talentos, e com dedicação e maturidade assumiu desafios e atuou em seis diferentes posições na empresa. “Acredito que as mulheres estão fazendo história dentro da Johnson & Johnson, isto é devido à competência, potencial e maturidade. A companhia dá oportunidades iguais a homens e mulheres, acreditando no seu potencial e cabe a cada um agarrar a chance O diferencial da Johnson & Johnson é um respeito pela mulher, principalmente pelas mães. Em troca, a mulher se compromete ainda mais com a organização”.
Thais comenta como o programa tem sido positivo para a construção da carreira. “Participam dos encontros do WLI algumas das líderes que eu tenho grande admiração como profissional e como mulher. Compartilhamos sobre como lidar com a carreira, família, filhos, saúde, educação, e hoje ainda tenho o benefício de coatching com uma das líderes que mais admiro dentro da empresa”, acrescenta Thais.
Hoje, Thais Figueiredo está participando do programa global da Johnson & Johnson, o Make to Win (M2W), que visa promover networking entre líderes do Brasil, Europa, Ásia e América do Norte para utilização das melhores praticas de manufatura dentro da empresa. A executiva está representando o Brasil, o maior site de manufatura da Johnson & Johnson, durante seis meses em viagens por plantas da companhia.

Mulheres na Johnson & Johnson Brasil
O histórico da Johnson & Johnson com mulheres vem desde os primórdios da companhia, sendo que metade dos 14 primeiros empregados da Johnson & Johnson eram do sexo feminino.
Atualmente, a Johnson & Johnson Brasil conta com cerca de 6.000 funcionários, sendo que 40% deste público é composto do sexo feminino. Número que tende a subir com o crescente ingresso de mulheres na companhia, a exemplo do processos de Trainees realizado em 2011, no qual 62% eram do sexo feminino e no de estagiários a taxa foi de 58%.
Globalmente, as mulheres representam 41% dos líderes na companhia. Entre as mulheres líderes:

- Têm entre 26 e 61 anos de idade
– 53% é casada
– 30% está a mais de 10 anos na companhia
– 52% têm filhos
– 33% possuem no mínimo um curso de pós-graduação

Profissionais de 30 empresas participam do Hopi Venturi

O Hopi Hari, maior parque temático da América Latina, recebeu no último sábado (26/05) 41 profissionais de 30 empresas diferentes, entre elas Santander, Ambev, Alpargatas, DHL, Sabó, Villares Metais, Capgemini, Grupo Santa Cruz e Mahle, para mais uma edição do Hopi Venturi, um treinamento gerencial vivencial ao ar livre que desenvolve habilidades e atitudes por meio da aprendizagem prática e lúdica.
De forma muito flexível e customizável, no Hopi Venturi o participante é exposto a uma série de situações e desafios que promovem a aquisição e o aperfeiçoamento das competências essenciais para a estratégia da empresa ou carreira. O treinamento explora as múltiplas inteligências, feedbacks, debriefing, devolutiva, fechamento, sempre com acompanhamento de consultores especializados. “De todas as dinâmicas em grupo das quais participei, o Hopi Venturi realmente me surpreendeu, não só pela organização, pelo formato diferenciado, mas também por nos permitir enxergar, de fato, nossas qualidades e nossas deficiências, mostrando de forma clara e objetiva os pontos que devemos trabalhar como oportunidade de melhoria”, contou Caio Magno Monte, coordenador Logístico da DVA Express.
“O treinamento foi muito dinâmico e diferenciado. O conteúdo abrangeu temas como gerenciar mudanças, trabalhar em equipe, visão estratégica e otimização do tempo. O Hopi Venturi engloba esforço físico e ida aos brinquedos, não impedindo que uma pessoa com algumas limitações não possa participar. Foi muito válido o treinamento para a equipe do banco, até porque temos a oportunidade de liderar e sermos liderados e é sempre bom vivenciar os dois lados”, afirmou Karoline Castro da Costa, da Diretoria de Negócios de Recuperação do Santander.
Thaís Guarnieri, coordenadora de Talentos Humanos da Viação Santa Cruz, destacou os feedbacks da equipe responsável pelo treinamento. “Favoreceu mudar de planos ou acertar algo que não estava tão bem”, argumentou.

O treinamento
Desde agosto do ano passado, a plataforma corporativa de Hopi Hari passou a oferecer treinamentos empresariais com turmas abertas, possibilitando a inscrição individual dos participantes. Desde 2006, o parque trabalha com o Hopi Venturi, capacitação ao ar livre pela qual já passaram cerca de 5 mil profissionais de diversas empresas, como Unilever, Motorola, Toyota, Itaú, Telefonica, Volvo, Elektro, Redecard e Porto Seguro.
O treinamento com turmas mistas, formadas por no mínimo 20 pessoas, foca três competências: liderança, trabalho em equipe e comunicação. Destinado aos profissionais de todas as áreas que já estejam atuando no mercado e que desejam crescer pessoal e profissionalmente, o Hopi Venturi foi desenvolvimento e é executado pelo Hopi Hari em parceria com o Nipec (Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa, Ensino e Consultoria).
Utilizando a plataforma do parque, este outdoor training simula os Jogos Olímpicos de Hopi Hari. Cada equipe representa uma região do país e ganha a que somar mais Hopis, a moeda oficial do parque. As equipes recebem a relação de tarefas com os seus detalhes: local, valor em Hopis, equipamentos, tempo de duração, etc. O grupo, então, se planeja e define o que vai comprar, o que vai negociar e a sequência das tarefas que serão enfrentadas.
Cada equipe é acompanhada por um consultor, que avalia as condutas individuais e do grupo; verifica o cumprimento das regras; conduz os dois primeiros feedbacks e redige um relatório sobre a equipe. Os consultores têm sólida formação acadêmica e experiência profissional no mercado. “Além de todo esse conteúdo, o pacote é completíssimo, incluindo alimentação, camisetas, equipamentos, apostilas, certificado, premiação, além, é claro de toda a infraestrutura do Hopi Hari. Com um único fornecedor, toda a solução” ressalta Cybele Gomes, gerente comercial do canal corporativo do parque.
A coordenação do Hopi Venturi é do professor Paulo Filho. Formado pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), especializado em Gestão de Processos Industriais pela mesma instituição e com MBA em Gestão de Pessoas pela FGV-Ohio University, já atuou junto a várias empresas, como GE, P&G, Motorola, Armani, Toyota, Volvo, VW, Basf, FMC, Oracle, British Telecom, Telefonica, Itaú, Unibanco, Redecard, Porto Seguro, Syngenta, Unilever, Natura, Kimberly Clark, PPG, Benteler, HSM, Maersk, Philips, British Petroleum, Johnson&Johnson, ThyssenKrupp, Elektro etc. Realiza o Hopi Venturi há seis anos no Hopi Hari e faz do país divertido do mundo a sala de aula mais fantástica para treinamentos vivenciais corporativos.

Serviço
Hopi Venturi
Onde: Hopi Hari – Rodovia dos Bandeirantes, km 72 / Vinhedo – São Paulo.
Como participar: solicite atendimento pelo e-mail: hopiventuri@hopihari.com.br